Centro Histórico de Nova Sintra

A cidade de Nova Sintra situa-se na ilha da Brava, foi descoberta no ano de 1462. A humanização da ilha começou a vicejar em 1620 por colonos portugueses, oriundos da Madeira e dos Açores.

Em 1680, com o terremoto seguido de erupção vulcânica na vizinha, Fogo, muitos proprietários juntamente com alguns casais de negros libertos, encontraram refúgio e se estabeleceram na ilha Brava, a principio na localidade de Furna, zona mais próxima da ilha do vulcão.

Quando as incursões dos piratas se tornaram habituais (séculos XVII-XVIII), foram construídas torres de vigia no extremo da baía e procuraram-se lugares mais protegidos, de localização mais elevada, para proteger dos saqueadores. Por aquela altura apareceu o principal núcleo populacional: Vila da Nova Sintra.

O plano económico da ilha estava, na altura, à margem do comércio esclavagista, despertando outros interessasses quando o navegador inglês George Roberts descobriu, por volta de 1720, a urzela muito apreciada como matéria-prima para tingir têxteis. Descoberta que lançou a ilha Brava no bulício mercantilista do mundo moderno.

A ilha da Brava, por possuir um clima excecionalmente saudável, que lhe mereceu o nome de Paraíso do Arquipélago, foi em tempos escolhida com frequência para residência dos governadores-gerais. Foram os casos do governador e oficial da marinha João Fontes Pereira de Melo que governou Cabo Verde, entre 1839 a 1842, a partir da Ilha Brava, devido a insalubridade que existia na Praia e de D. José Miguel de Noronha que em 1845, acompanhado por 50 funcionários, fugiu da cidade da Praia para a Brava, devido à febre-amarela, levando a imprensa do Boletim Oficial.

Aliás, a questão de insalubridade da Praia levou com que em 1849, o governador transferisse todos os empregados da Secretária-geral e Contadoria para a Ilha Brava. Ali passou a funcionar a Junta da Fazenda, o Conselho do Governo, a Junta de Agricultura e o Conselho de Instrução Superior.

Esta itinerância da capital de Cabo Verde só seria resolvida em definitivo em 1855, com a fixação da capital na Praia, atendendo às revindicações por parte da câmara da Praia, e devido à dimensão reduzida da Brava. Por esta altura a ilha da Brava albergava a escola principal de Cabo Verde que foi inaugurada em 1848, e recebia estudantes de todas as ilhas e mesmo dos países vizinhos da costa africana como Guiné-Bissau.

A 16 de Março de 2016 foi inscrita na Lista Indicativa de Cabo Verde para UNESCO, baseado nos critérios IV e VI.

Galeria de Imagens


Localização


Outros na Lista Indicativa de Cabo Verde na UNESCO