Bibliografias

“Da rotunda a Santa Catarina – Por uma abordagem das sublevações nacionais à luz do republicanismo”

Preço: 1000 CVE | Direção: Sandra Mascarenhas | Ano: 2014

“Da rotunda a Santa Catarina – Por uma abordagem das sublevações nacionais à luz do republicanismo”

Sandra Helena Mascarenhas Martins é natural Da Cidade da Praia, licenciada em História e mestre em Património, Turismo e Desenvolvimento. Técnica do Instituto do Património Cultural exerceu, entre 2011 e 2014, o cargo de presidente do Arquivo Histórico Nacional.

Além de dispersa contribuição em palestras e exposições versando a cultura nacional, dedica-se á investigação histórica sendo este o seu primeiro livro resultado de uma profícua pesquisa documental galardoada como o Prémio Pantera talento jovem na categoria ensaio, em 2009.

“Alfabétu Kábuberdiánu – Um prupósta di skrita k ustória voltádu pa futuru”

Preço: 800$ | Coordenação: T. V. da Silva | Ano: 2014

“Alfabétu Kábuberdiánu – Um prupósta di skrita k ustória voltádu pa futuru”

«Ideia di skrebe es nsáiu ku nómi di Alfabétu Káuberdiánu: un prupósa di skrita k ustória, voltádu pa futuru parse-m duránti nha frekuénsa (di sérba di dos mês) di kursu di mestrádu na Kririolístika i Língua Káuberdiánu, ki Universidádi di Káuberdi (Uni-CV) toma nisiativa di kíria i inplimenta, a partir di ánu letivu di 2010-2011.

El ta sérba tema di nha disertason di mestrádu, si N kontinuába nel.

Nfilismenti, N ka kontínua, pa rozons ki N ka ta spoi li. Entritántu, pa otus razon ki ta avansádu más diante (kfr. 0. 1 i 0.2), N dissidi na trata kel tema li, inda ki ku abordaji diferente di kel ki el ta tenta na ánbitu di mestrádu.

“Auto da língua cabo-verdiana (I) – alguns traços estruturais”

Preço: 300 CVE | Coordenação: Adelaide Monteiro | Ano: 2019

“Auto da língua cabo-verdiana (I) – alguns traços estruturais”

O livro de bolso «Auto da língua cabo-verdiana (I) – alguns traços estruturais» é uma introdução à gramática que a falam ou apenas a percebem, mas ainda não a falam. Este livro é o primeiro de uma coleção de 3 livros a que se chamou Manual Dragueru.

Foi designado Manual DRAGUERU, numa conotação simbólica com a árvore dragoeiro, espécie que resiste ao tempo. Esta proposta de imagem simbólica é feita por associação às condições extralinguísticas de aparecimento das línguas crioulas no geral: a representação simbólica diverge entre autores, mas os elementos mais ou menos consensuais variam entre: a imagens de um forte, uma ilha e um barco vs imagens de uma árvore e de uma piroga (ambos são símbolos de mobilidade enraizamento).

“Implementação dos Ideais das Revoluções de 1820 e 1910 - Ultramar Português – Cabo Verde”

Preço: 1500$ | Coordenação: Vitor Semedo | Ano: 2015

“Implementação dos Ideais das Revoluções de 1820 e 1910 - Ultramar Português – Cabo Verde”

“(…) a verdade é que a segunda metade da centúria de oitocentos vês aparecer, particularmente nos últimos decénios, variadas publicações periódicas, com especial destaque para a imprensa regional (…) convictos da necessidade de abrir o povo português às realidades de uma sociedade que fervilhava de novas ideias, surgem um pouco por todo o país homens que se dispõem a empreender a tarefa (…) levar “as luzes do século” aos que ainda permaneciam nas trevas”

ALVIM e Vilas Boas, Maria Helena (1988) – Da Monarquia à República através das páginas de um Jornal. «Revista Africana”. Centro de Estudos Africanos e Orientais da Universidade Portucalense, 2, p. 287-297

“Proposta de Bases do Alfabeto Unificado para a escrita do Cabo-verdiano”

Preço: 800$ | Coordenação: Grupo para Padronização do Alfabeto – IIPC | Ano: 2006

“Proposta de Bases do Alfabeto Unificado para a escrita do Cabo-verdiano”

“… a publicação deste valioso conjunto documental propicia, entre outras coisas, uma oportunidade alargada de socialização, entre os cabo-verdianos (no país e na diáspora), de um leque de trabalhos de natureza científica sobre o processo histórico, social, cultural e linguístico do alfabeto e da escrita da língua cabo-verdiana. No fundo, uma contribuição importante para uma historiografia do alfabeto e da escrita da língua nacional …”