Últimas Notícias

Projeto – Olaria tradicional

projeto-olaria-tradicional

“Olaria tradicional” é um projeto do Instituto do Património Cultural, coordenada pela Antropóloga Ana Samira Carvalho, técnica da instituição, que visa analisar, de forma científica, o papel da Olaria, enquanto Património Cultural Imaterial (PCI) no domínio do artesanato tradicional e, conhecer e transmitir as potencialidades socioeconómicas e culturais do património, à luz do desenvolvimento rural e de um turismo sustentado.

A olaria tradicional teve em Cabo Verde e nas comunidades rurais centros de produção um papel determinante no empoderamento das mulheres oleiras, detentoras do saber-fazer ancestral de confeção das loiças de barro.

Neste momento, existem no país três centros de produção do artesanato tradicional: Fonte Lima no concelho de Santa Catarina, Trás-os-Montes em Tarrafal de Santiago e Rabil na Ilha de Boa Vista.

São comunidades rurais, onde as principais atividades económicas incidem sobre a agricultura e a pecuária, secundarizadas pelo trabalho de barro que representa a marca dessas localidades.

Enquanto património imaterial, a olaria tradicional é vista, no projeto, como artesanato feminino com elevado potencial para o desenvolvimento sustentável nos locais identificados como centros de produção, pretendendo sublinhar o papel do género no ciclo de produção e comercialização das loiças de barro, sem descurar o seu papel e o seu impacto no contexto social, cultural e económico das famílias.

Durante o processo investigativo procurou-se igualmente descrever e analisar o ciclo de produção da olaria tradicional desde da fase da recolha do barro até a fase final (comercialização), analisando e ilustrando as dimensões etnográficas da produção e as dimensões as simbólicas associadas à memória.

No plano de salvaguarda, o Projecto visa a implementação de estratégias estruturantes, nomeadamente, através da construção de um “Centro Interpretativo de Olaria Tradicional”, edições de Catálogos e conteúdos em vídeos, bem como o inventário de base comunitária, ferramenta imprescindível no levantamento do contexto de produção, na avaliação da questão da transmissão e planos de intervenções que garantam, no futuro, a continuidade da atividade.

Há que realçar que o IPC contou com a parceria da Câmara Municipal de Santa Catarina, das Oleiras e da Unesco, durante os trabalhos de investigação bem como para edição do catálogo que será brevemente dado à estampa.

O projeto prevê ainda, sob os auspícios da Unesco, a realização de uma oficina de capacitação das jovens da localidade e arredores na prática do ofício e para a sua salvaguarda enquanto bem patrimonial.

Partilhar
Share on email
Share on facebook
Últimas Notícias