Presidente do IPC e equipa visitam as obras de reabilitação do ex-campo de concentração, atual Museu da Resistência

presidente-do-ipc-e-equipa-visitam-as-obras-de-reabilitacao-do-ex-campo-de-concentracao-atual-museu-da-resistencia

Presidente do IPC e equipa visitam as obras de reabilitação do ex-campo de concentração, atual Museu da Resistência.

O Presidente do Instituto do Património Cultural, Dr. Hamilton Jair Fernandes acompanhado da sua equipa, Arq. Daniel de Oliveira e do Engº. Louvualdo Ribeiro, visitou as obras de reabilitação do ex-campo de concentração sito em Chão Bom, Tarrafal.

A visita foi marcada pela presença do Ministro de Estado, dos Assuntos parlamentares e da Presidência do Conselho de Ministros e Ministro do Desporto, Dr. Fernando Elísio Freire, que aproveitou a sua estadia no Município do Tarrafal para se inteirar de como se decorrem as obras de reabilitação, bem como o Presidente da Câmara Municipal deste Conselho, Dr. José Pedro Soares.

Após o período de interrupção devido à pandemia, retomaram-se as obras com remoção da telha de fibrocimento e das estruturas de cobertura, e prevê-se a reabilitação com a substituição do telhado, a recuperação de revestimento da argamassa, das portas e dos elementos metálicos, das escrituras nas paredes, a consolidação do murro, a correção de fissuras nas fachadas, a reconstrução das paredes, e as pinturas. Isto, numa primeira fase.

Numa segunda fase, será realizado o processo de musealização do edifício.

Lembre-se que durante anos, o ex-campo de concentração representou para o país um lugar de sofrimento, mas principalmente de resistência à forte opressão que se viveu até 1 de Maio de 1974, data que Cabo Verde comemorou a libertação dos presos políticos do “campo da morte lenta” como era chamado na altura.

Devido ao seu valor histórico e patrimonial o edifício que foi um importante instrumento na luta pela independência nacional, foi classificado Património Cultural Nacional através da resolução nº 33/2006, de 14 de Agosto, e integra atualmente na lista indicativa de Cabo Verde na UNESCO pelos critérios III e V.

Mais tarde, o edifício histórico foi musealizado, com a inauguração do Museu da Resistência, com o objetivo é preservar e perpetuar parte da memória histórica do período salazarista e das lutas pelas independências das ex-colónias portuguesas em África, Angola, Guiné Bissau e Cabo Verde.

As obras de reabilitação do Museu da resistência, ex-campo de concentração, enquadram-se no âmbito do Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidades, PRRA, do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, através do Instituto do Património Cultural, financiada pelo Governo de Cabo Verde.

Obras estas, que constituem o primeiro passo para a sua candidatura a Património Mundial.

Partilhar
Share on email
Share on facebook
Últimas Notícias

Contador de estórias na Escolas

Enquadradas nas atividades alusivas ao mês da Cultura e das Comunidades, o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas através do Instituto do Património Cultural