Procurar
Close this search box.
Procurar
Close this search box.

II seminário “Biodiversidade e o Património Cultural Subaquático” nos Açores

II seminário “Biodiversidade e o Património Cultural Subaquático” nos Açores

Aconteceu durante três dias (3 a 6 de outubro), o II seminário “Biodiversidade e o Património Cultural Subaquático”, em Horta, Açores, no âmbito do projeto MARGULLAR II.

Um encontro que contou com a participação do Instituto do Património Cultural através da Direção dos Museus representado pela Diretora Ana Samira Silva Baessa e pela Direção do Património Imaterial, representado pela Diretora Sandra Mascarenhas.

Durante o evento foi debatido as estratégias para o desenvolvimento que conciliam a conservação da biodiversidade marinha e a proteção do património arqueológico subaquático, bem como os novos desafios partilhados pelas regiões da Macaronésia no que tange à sustentabilidade social do património subaquático.

Trata-se da 3ª Missão de Cooperação Transnacional do Projeto MARGULLAR2 “rede de parques arqueológicos subaquáticos da zona mac” do Programa de Cooperação Territorial INTERREG MAC 2014-2010 pelo fundo europeu FEDER.

Recorde que projeto MARGULLAR foi desenvolvido em parceria com as ilhas da Macaronésia (Madeira, Açores, Canárias e Cabo Verde) e visa articular Património e Turismo, através da realização de trabalhos de arqueologia subaquática, para a preservação e conservação do património marinho, sua valorização e aproveitamento, com foco na melhoraria da atratividade e promoção do turismo nestas regiões.

Cabo Verde é Estado-membro da convenção do Património Cultural Subaquático e tem primado pela salvaguarda deste património, adotando medidas legais e institucionais para o efeito, nomeadamente, a criação da comissão nacional para salvaguarda do património cultural subaquático, formações de técnicos nacionais, sensibilização das comunidades costeiras, entre outras iniciativas.

Partilhar

Chantier-École Internacional -Santiago 24

Cidade Velha, acolhe no quadro dos 15º aniversário da sua classificação a Património Mundial o primeiro Chantier-École Internacional de Arqueologia Subaquática, entre os dias 1