Documentário “Tabanka ka ta kaba” na III Amostra Internacional de Obras Audiovisuais sobre Património Cultural Imaterial

documentario-tabanka-ka-ta-kaba-na-iii-amostra-internacional-de-obras-audiovisuais-sobre-patrimonio-cultural-imaterial

O documentário realizado pelo antropólogo visual do Instituto do Património Cultural, Carlos Alberto Barbosa, foi selecionado para integrar na III Amostra Internacional de Obras Audiovisuais sobre Património Cultural Imaterial entre os dias 25 a 28 de março no México.

Em 2012, Barbosa realizou o seu primeiro documentário “As festividades de São João Baptista – Ilha da Brava”, mas foi com “Tabanka ka ta kaba” (2017), que o mestre em antropologia visual pela Universidade de Barcelona, se inscreveu no festival.

O documentário cabo-verdiano é o primeiro a marcar presença na Amostra Internacional de Obras Audiovisuais sobre Património Cultural Imaterial.

Um evento que surge com o objetivo de criar um espaço internacional onde se exibe uma seleção de obras audiovisuais relacionadas com o Património Cultural Imaterial, tendo como foco:

• Fortalecer as políticas culturais para promover a criação, produção, distribuição e acesso aos diversos bens e serviços culturais;

• Divulgar e dar a conhecer ao público obras audiovisuais de todo o mundo que tenham relação com o Património Cultural Imaterial (PCI);

• Criar pontes e canais para facilitar o acesso equitativo às obras e conteúdos audiovisuais que promovam o equilíbrio entre a oferta e o fluxo de bens e serviços culturais;

• Incentivar a criatividade e a diversidade das expressões culturais em espaços públicos de exposição, promovendo a divulgação de ideias e formas de ver o mundo.

Podem inscrever no evento cineastas independentes, associações e organizações civis, instituições públicas e privadas de qualquer nacionalidade, com uma ou mais obras cuja realização e tema central tenham sido motivados ou relacionados aos domínios do património cultural imaterial (tradições e expressões orais, as artes e espetáculos; rituais e atos festivos; o universo e as técnicas artesanais tradicionais, etc).

Trata-se de uma oportunidade de internacionalização da tabanca, património cultural imaterial nacional desde agosto de 2019, estando o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas a trabalhar no processo de candidatura do mesmo a Património Cultural Imaterial da Humanidade.

Apostando fortemente no setor da cultura, o Governo de Cabo Verde tem traçado estratégias que visam a salvaguarda, valorização e promoção do património cultural dentro e fora do país, acreditando ser um dos importantes instrumentos de promoção da paz e sustentabilidade, e ainda um chamariz do turismo.

Aceda o nosso youtube para assistir o trailler do documentário.

Partilhar
Share on email
Share on facebook
Últimas Notícias

Contador de estórias na Escolas

Enquadradas nas atividades alusivas ao mês da Cultura e das Comunidades, o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas através do Instituto do Património Cultural