Abertura do fórum “Tabanca Nós Raiz: Política de Salvaguarda e Novas Perspetivas de Valorização”

1

“A Tabanca e o Ex-Campo de Concentração do Tarrafal são dois bens culturais que Cabo Verde irá trabalhar, nos próximos 5 anos, para termos uma candidatura a Património Imaterial da Humanidade.”

Enquadrado no Dia Internacional dos Museus que se celebra este ano sob o lema: “O futuro dos Museus, recuperar e Reimaginar”, o Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, presidiu na manhã de hoje, dia 04 de junho, a abertura do fórum “Tabanca Nós Raiz: Política de Salvaguarda e Novas Perspetivas de Valorização”, no Museu de Tabanca, em Chã de Tanque, Santa Catarina.

Uma cerimónia da qual participaram vários representantes e membros da Tabanca da ilha de Santiago que se declaram cientes das políticas implementadas para a valorização e salvaguarda deste património nacional, começando pela garantia de apoio financeiro anual e a melhoria impactante na institucionalização do departamento de estudos da Tabanca. Para o Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, dos investimentos já realizados, o foco agora é, junto do Instituto do Património Cultural, IPC, continuar “o vasto programa de recolha, de mapeamento e empoderamento dos grupos de Tabanca, a nível nacional, e tentar recuperar a sua idiossincrasia, ou seja, aquilo que é a essência da Tabanca”.

A Tabanca, uma das mais antigas expressões culturais da ilha de Santiago e Maio, está muito presente e sentida nas comunidades, pelo que o governante solicita e agradece a divisão de tarefas e o engajamento e participação consciente de todos os membros e simpatizantes desta manifestação para um futuro profícuo.

“Neste mandato, traçamos como uma das prioridades reconstruir ou reabilitar as capelas de Tabanca existentes, com o intuito de criar uma rede nacional de capelas musealizadas, para que, de fato, possamos tornar realidade um roteiro de visita turística que agregue as outras valências das comunidades, nomeadamente a gastronomia e o artesanato. Tabanca presente nas comunidades através, ainda, da inserção de novos elementos no folclore, da reabilitação da sua presença como instrumento comunitário de educação, de socialização e pedagogia. São planos de salvaguarda necessários uma vez que “a Tabanca e o Ex-Campo de Concentração do Tarrafal são dois bens culturais que Cabo Verde irá trabalhar, nos próximos 5 anos, para termos uma candidatura a Património Imaterial da Humanidade”, reforçou o MCIC, Abraão Vicente.

Estiveram presente no fórum, a presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina, Jassira Monteiro, o presidente do IPC, Hamilton Jair Fernandes, a Diretora dos Museus, Samira Silva Baessa, e a Diretora do Património Imaterial, Sandra Mascarenhas, todos cientes de que falta muito por fazer, mas que juntos esta manifestação cultural, bem como os seus produtores e membros terão a dignidade a nível de infraestrutura e condições básicas de prática.

20
Partilhar
Share on email
Share on facebook
Últimas Notícias

Contador de estórias na Escolas

Enquadradas nas atividades alusivas ao mês da Cultura e das Comunidades, o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas através do Instituto do Património Cultural