Monumentos e Sítios

Campo de Concentração do Tarrafal
Partilhar
Share on email
Share on facebook

Situado na localidade de Chão Bom, o Campo de Concentração do Tarrafal foi construído no ano de 1936, com base no decreto nº 26:539 de 23 de abril. A colonia penal recebeu os seus primeiros presos a 29 de outubro do mesmo ano, tendo funcionado até 1956. Em 1962 foi reaberto com o nome de “Campo de Trabalho de Chão Bom”, destinado a encarcerar os anticolonialistas de Angola, Guiné Bissau e Cabo Verde. No total foram presas mais de 500 pessoas, sendo 340 antifascistas e 230 anticolonialistas.

As condições de sobrevivência no Campo de Concentração eram duras e desumanas. Os maus tratos, o isolamento e as humilhações aos quais os presos eram ali sujeitos, conduziram muitos à morte ou deixaram sequelas psíquicas e físicas. Para além do trabalho forçado, as torturas recorrentes como a frigideira, a estátua, a tortura do sono, os espancamentos, figuravam as práticas desumanas dentro de toda uma panóplia de maus tratos.

Neste contexto, o campo de Concentração do Tarrafal está gravado no imaginário dos portugueses, angolanos, guineenses e cabo-verdianos como o “campo da morte lenta” ou “da morte”. Durante os mais de trinta anos de funcionamento, serviu para a prática dos mais hediondos crimes, deixando marcas físicas e psicológicas irreversíveis, naqueles que ousaram opor-se à ordem político-social vigente do Estado Novo, Salazarismo. 

Pela história e memoria que acareta, o Campo de Concentração do Tarrafal foi inscrito na lista indicativa de Cabo Verde para UNESCO pelos critérios III e VI

O Campo de Concentração do Tarrafal preserva na sua totalidade as suas caraterísticas originais, encontrando-se em bom estado de conservação. Após a sua desativação, o complexo funcionou como centro de instrução militar e desde 2000 alberga o Museu de Resistência.

 O “campo da morte lenta” foi  classificado  Património  Cultural  Nacional  através  da Resolução nº 33/2006, de 14 de Agosto. Com intuito de assegurar a sua administração e gestão, foi criada a Curadoria do Campo de Concentração de Chão Bom, Tarrafal através da Resolução nº 64/2014, de 12 Agosto.

Pelos elementos estruturais, históricos, funcionais e simbólicos, este campo, equipara-se a outros espaços homónimos erguidos durante a vigência dos regimes totalitários que proliferaram pela Europa (1933-1945), sendo os mais sintomáticos Auschwitz e Dauchau.

O Campo de Concentração do Tarrafal, pelas suas caraterísticas acima mencionadas, ajusta-se a Robben Island (África do Sul), inscrito na Lista de Património Mundial da UNESCO em 1999.

Galeria de Imagens

Localização

Outros Pontos do Roteiro Turístico

Pelourinho

Construído no limiar do século XVI, entre 1512 ou 1520, enquanto símbolo do poder municipal e da justiça real. Localizado no centro da cidade, local

Saber Mais

Outros Monumentos

Pelourinho

Construído no limiar do século XVI, entre 1512 ou 1520, enquanto símbolo do poder municipal e da justiça real. Localizado no centro da cidade, local

Saber Mais

Outros Patrimónios

Monumentos

A lei cabo-verdiana classifica como monumento as obras arquitetónicas, composições importantes ou criações mais modestas, notáveis pelo interesse histórico, arqueológico, artístico, cientifico, técnico…

Sabei Mais »

Sitíos Históricos

São classificados como sítios históricos, as obras do homem ou obras conjuntas do homem e da natureza, espaços suficientemente característicos e homogéneos, notáveis …

Sabei Mais »