O Património Cultural Imaterial (PCI) é um conceito relativamente novo no quotidiano do cabo-verdiano. À luz das Convenção da UNESCO para Salvaguarda do Património Cultural Imaterial, PCI agrega o conjunto de “práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas – junto com instrumentos, objetos, artefactos e lugares culturais que lhes são associados - que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, os indivíduos reconhecem como parte integrante de seu património cultural”.

Contudo no quotidiano cabo-verdiano, este conceito é relativamente novo. "Tradison di tera" é a expressão cabo-verdiana que mais se aproxima do conceito de PCI.

Paulatinamente o homem cabo-verdiano vai se confrontando com a possibilidade de patrimonialização do conhecimento tradicional, do saber-fazer associado à produção de determinados objetos considerados de fabrico tradicional, do saber associado à cura de doenças pelas plantas e outros itens recolhidos na natureza, da sua música e dança tradicionais.

A crescente consciencialização para a importância do património imaterial, enquanto fator de identidade e desenvolvimento local acresce ao Instituto do Património Cultural a dupla missão de salvaguarda, em estrito consenso e parceira com as comunidades, organizações da sociedade civil, poderes locais e organizações não-governamentais e, educação patrimonial para as particularidade próprias do património cultural imaterial, pelas suas características de património intangível, volátil, frágil, mas fundamental á afirmação da diversidade cultural, ao diálogo e respeito mútuo, à integração.

Dominios PI

Aptidões ligadas ao artesanato tradicional

Ponto onde o material e imaterial se tocam. O objecto da convenção não é a peça em si mas os conhecimentos associados a sua elaboração que devem como tal ser preservados e transmitidos entre gerações. A forma como se manifesta esse conhecimento e saber-fazer varia, indo desde peças de olaria a bijuterias, vestuários, brinquedos.

Conhecimentos e práticas relacionadas com a natureza e o universo

Conhecimentos, práticas, modos de fazer, competências que a comunidade desenvolve da interação com o meio ambiente, redundando num conjunto de valores, formas de ver o mundo, representações, crenças. Um leque variado de expressões e práticas tão diversos quanto os contextos socioculturais e ambientais que as originam e encontram-se muitas vezes na base de outras manifestações do imaterial. 

 

Expressões artísticas

 Aqui fala-se das artes performativas como música, teatro, dança e outras formas de expressões culturais frutos da criatividade humana e que podem estar associadas a outras manifestações do património cultural imaterial.

 

 

Práticas sociais, rituais e eventos festivos

Praticas quotidianas, rotineiras ou cíclicas, públicas ou privadas, que estruturam a vida e definem a identidade de um grupo ou comunidade. 

Tradições e expressões orais

Incluindo a língua enquanto veículo de transmissão do património cultural imaterial, caso das lendas, provérbios, adivinhas, cânticos populares, canções, cantigas de trabalho, rezas. Isto é, expressões orais que transmitam conhecimentos, memórias e que tenham a língua como veículo.

Património Cultural Nacional

Manifestação a Património Nacional