sao_tiago_maior.jpg

Iniciadas no passado mês de setembro, as obras de reabilitação da Igreja de São Tiago Maior (ISTM), no Município de Santa Cruz, ilha de Santiago, prosseguem a bom ritmo.  Uma equipa do IPC, liderada pelo seu Presidente, Hamilton Jair Fernandes, esteve recentemente no local para constatar o ponto de situação das obras e concertar os próximos passos a serem seguidos no decurso da intervenção.

A ISTM, de acordo com resultados das escavações arqueológicas realizadas em 2018, foi construída no século XVIII de tijolo no paramento da parede e no arco de entrada, coberta de telha de meia cana e com piso de terra abatida. O edifício terá sofrido três intervenções antes da paroquia ter sido transferida, em 1954, o que acabou por causar o abandono deste edificado e sua consequente degradação.

Em 2018 efetivou-se o processo de intervenção arqueológica, e há um mês iniciou-se à reabilitação integral da Igreja de São Tiago Maior. Nesta atual intervenção, no quadro do eixo IV do PRRA, vai-se realizar uma profunda reabilitação das ruínas existentes, que se encontram em mau estado de conservação, e reconstruir parte da Igreja que se perdeu no tempo.

Durante a visita do IPC, a empresa CAD explicou que, de momento, a equipa no terreno procedesse a consolidação das ruínas existentes, que se encontravam muito degradadas, e colocação de massa nas paredes internas.

Quanto as paredes externas, que serão reconstruídas, garantiu que a equipe de fiscalização já aprovou o material e que serão utilizadas pedras produzidas na localidade de Porto Fundo em Santa Cruz.  

No tocante ao piso, explicou que se está a colocar o betão no chão. O piso da Igreja será em tijoleira cerâmica no interior, e calçadas em pavês nos tons de cinza e encarnado, no exterior.

A reabilitação deste edificado enquadra-se no plano nacional de reabilitação dos edifícios históricos e religiosos traçado pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, através do Instituto do Património Cultural, é financiada pelo Governo de Cabo Verde, através do Eixo IV do PRRA. 

O projeto arquitetónico foi elaborado pelo Arquiteto do IPC, Daniel Oliveira em estreita colaboração a edilidade local e com a Comissão Diocesana para reabilitação do património religioso.

Últimas Notícias