visita_diretor_BREDA.jpg

O corpo diretivo do Instituto do Património Cultural, liderado por Hamilton Jair Fernandes, recebeu nesta quarta-feira, 02 de outubro, a visita do Diretor Regional da Unesco Dakar (BREDA), Dimitri Sanga.

Esta visita teve como objetivo fazer um repasso da carteira de projetos do IPC e consequente alinhamento para futuras atuações conjuntas no que diz respeito à preservação e disseminação do conhecimento a nível do património cultural.

Ao Diretor Regional, Fernandes apresentou os pilares que sustentam o trabalho do Instituto, que dirige, os projetos do biénio 2018-2019, com destaque para o inventário do Património Imóvel, Carta Arqueológica da Cidade Velha e o PRRA, no tocante aos monumentos e sítios, a Morna, língua cabo-verdiana e a Tabanca, no campo imaterial. Estas últimas recém classificadas como património cultural imaterial nacional.

Apresentou-se também o projeto de inventário e plano nacional de conservação e restauro dos espólios museológicos, em execução, assim como o trabalho de educação patrimonial que tem sido levado a cabo.

O Diretor BREDA congratulou a equipa pelo trabalho que Cabo Verde tem feito no domínio do património cultural, em especial pela ratificação da convenção de 2001, a entrega do plano de Gestão da Cidade Velha-Património Mundial, horizonte 2022, pela elaboração do Manual ilustrado de normas urbanísticas da Cidade Velha, que segundo avançou será utilizado como modelo para o manual de normas que se pretende implementar em Gorée, Dakar.

Destacou ainda o facto de se estar a projetar o turismo cultural com foco nas comunidades, de forma que elas tirem proveito do rico legado que possuem e sejam em simultâneo seus maiores guardiões.

Alertou, contudo, para a ratificação da Convenção da UNESCO de 1970, relativa às medidas a serem adotadas para proibir e impedir a importação, exportação e transferência de propriedades ilícitas dos bens culturais.

Perante esta Convenção os Estados-Partes comprometem-se a combater essas práticas com os meios de que disponham, principalmente suprimindo suas causas, fazendo cessar seu curso, e ajudando a executar como devidas reparações.

Não obstante a isto, Dimitri Sanga reiterou a total disponibilidade do escritório regional de Dakar em continuar a apoiar Cabo Verde, e o IPC - Instituto do Património Cultural, em particular, no cumprimento de sua missão de preservação, promoção e salvaguarda do património cultural nacional.

Dimitri Sanga fez-se acompanhar, no encontro, pela Guiomar Alonso, responsável pelo sector cultural do escritório Regional de Dakar, e da Secretária Executiva de Cabo Verde para Unesco (Unescocv), Carla Palavra. Recorda-se que a CNU CV é presidida pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, tendo como Presidente o MCIC, Abraão Vicente.

Últimas Notícias