carla-palavra.jpg

O Instituto do Património Cultural (IPC) e a Comissão Nacional de Cabo Verde para Unesco (CNU) compartilham alguns Dossiers, no quadro da preservação e promoção do património cultural. Neste sentido, para efeitos de seguimento, uma equipa do IPC, liderada pelo seu Presidente, Hamilton Jair Fernandes, foi recebida, nesta quinta-feira, 25 de julho, pela atual Secretária Executiva da CNU, Carla Palavra.

Um encontro para dar seguimentos aos projetos e alinhar as politicas institucionais de forma a melhor aproveitar as sinergias.

Em pauta esteve os projetos da e para Cidade Velha – Património Mundial, nomeadamente o plano de gestão do Sítio, horizonte 2022, finalizado e pronto para deposito no Centro do Património Mundial, em Paris, o Manual ilustrado de normas urbanísticas da Cidade Velha. Este documento, financiado pela UNESCO, foi produzido pelo gabinete técnico conjunto local, constituído por técnicos do IPC e da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago.

No domínio do património imaterial, esteve sobre a mesa, Morna e a agenda que se prevê no quadro na candidatura, (entregue em março de 2018); a Onomástica Nacional e a criação do quadro dos nomes (facto primário em Cabo Verde); a valorização da Tabanca e Língua materna, cujos dossiers de classificação a património nacional foram entregues à tutela, para sua submissão ao Conselho de Ministros. Ainda no domínio do PCI, pontou-se a Herança Judaica- património nacional, valorização de Olaria de Fonte Lima, plano de salvaguarda de São João – património nacional e a elaboração do plano estratégico do turismo cultural em Cabo Verde.

No domínio do Património Cultural Subaquático estiveram em destaque a ratificação, por parte de Cabo Verde, da Convenção da UNESCO para a Proteção do Património Cultural Subaquático, de 2001, seguido da criação de um comité de seguimento dos projetos relacionados com esta área, os projetos CONHA e MARGULLAR e as possibilidades de maior disseminação dos mesmos juntos às escolas associadas da UNESCO.

Foi ainda algo de analise o plano Estratégico de Educação Patrimonial, em curso, e as formas como a CNU e as escolas associadas podem estar presentes no processo de implementação do mesmo.

Ao final da reunião ficou o compromisso de institucionalização destes encontros para seguimento dos Dossier conjunto. De recordar que ambas instituições estão sobre a tutela do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas.

Últimas Notícias