Formação_empreendedorismo_cultural.jpg

Durante dois dias, a Cidade Velha – Património Mundial, foi palco da formação sobre “o património em empreendedorismo cultural”, promovido pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, através do Instituto do Património Cultural, em parceria com o projeto SOSTURMAC (Programa MAC INTERREG da União Europeia) e a Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago.

Destinada aos empreendedores locais, Associações comunitárias, Artesões e aos Agentes culturais da Cidade Velha, esta formação abrangeu um público com idade compreendida entre os 24 e os 62 anos, e teve como foco a análise das potencialidades patrimoniais da Cidade Velha, processo de empreendedor, ferramentas de desenvolvimento de negócio e modelos de negócio.

A formação em causa, aconteceu quadro programa formar para conhecer, traçado pelo IPC, no quadro do Plano Estratégico de Educação Patrimonial (PEEP), recém apresentado, e foi ministrada pela Consultora da Pro-Empresa, Nilda Mendes, e pelo técnico do IPC, Cláudio Ramos.

Ao final da formação, com duração de 16 horas, os formandos receberam um certificado de formação, entregue pelo Diretor dos Monumentos e Sítios, Jaylson Monteiro, que destacou a importância de capacitar o património humano da cidade velha de modo a melhor tirarem proveito do rico património cultural local.

Por sua vez, os formandos reconheceram a necessidade de continua formação por forma a aprimorar os seus negócios, nomeadamente na apresentação, diversificação e divulgação dos mesmos.

Sobre este ponto, fez saber o DMS que no quadro do plano de gestão da Cidade Velha – Património Mundial, horizonte 2022, estão previstas várias ações de formação com a comunidade e empreendedores locais.

Últimas Notícias