conferencia morna di nos tudu

No quadro da agenda Morna 2019, e do projeto Morna Acessível inclusiva, o Instituto do Património Cultural promoveu, em parceria com Fredilson Cardoso, uma conferência intitulada “Morna di nôs tudu” na Sede da Associação dos Deficientes Visuais de Cabo Verde ADEVIC.

Um evento que teve como foco dar a conhecer os caminhos que a morna trilhou até a sua candidatura a património imaterial da humanidade pela UNESCO, mas acima de tudo quebrar os estereótipos existentes no quesito acessibilidade.

Martinho Brito, Antropólogo, descurou sobre a morna como património imaterial, a sua representatividade para o povo cabo-verdiano. Já Vasco Monteiro, gestor de património, apresentou as etapas percorridas para montagem do dossier de candidatura, exigido pela UNESCO.

Cabendo a Fredilson Cardoso, mentor do projeto MAI e também formado em gestão de património, apresentar a importância da Morna para vida de um invisual e os motivos que o levou a criar o projeto MAI (Morna Acessível Inclusiva).

Segundo o mesmo defendeu, os invisuais tocam e cantam a Morna, têm nela uma fiel companheira em momentos de solidão, porém não tem um conhecimento profundo sobre sua essência. Por isso pretende com o projeto MAI, apresentado na conferência, em parceria com o MCIC e o IPC, transmitir aos invisuais alguns conhecimentos básicos sobre esse género musical, que vai desde da história aos aspetos mais técnicos.

A conferência “Morna di nôs tudu”, que foi abrilhantada com o grupo Voz de ADEVIC, foi presidida pelo Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, e contou com a presença do Presidente do IPC e equipa, Presidente da ADEVIC, Conservador do Arquivo Nacional, Presidente do Museu da Educação.

Últimas Notícias