Capela de Morinho Maio 

O Ministério das Infraestruturas e ordenamento do território e habitação, acaba de lançar o concurso público (nº 08/2019_PRRA_EIV_M) referente à execução da empreitada para “Reabilitação da Capela de Morrinho”, na localidade de Moinho, ilha do Maio.

Trata-se do quarto projeto de reabilitação levado a concurso, no âmbito do Eixo IV do PRRA, seguindo a Igreja de Santiago Maior (Concelho de Santa Cruz) e Nossa Senhora da Luz (Concelho de São Domingos), ambas na ilha de Santiago, Praça 4 de Setembro no Fogo. O Eixo IV, coordenado pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, através do Instituto do Património Cultural, visa a reabilitação do património histórico e religioso a nível nacional.

Os documentos para o concurso, reabilitação da Capela de Morrinho, podem ser adquiridos no MIOTH, ou através do email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. a partir do dia 28 de fevereiro, nos dias uteis, entre as 8h30 às 16h30 através do DUC, mediante o pagamento dum montante não reembolsável de 10 mil escudos.

As propostas devem ser entregues até as 10h00 locais do dia 2 de abril de 2019, numa das salas de reuniões da Direção geral das Infraestruturas. Dia em que será realizado o ato público de abertura das propostas, na sala de reuniões do Ministério das Infraestruturas.

O contrato de empreitada deverá ser executado em 3 meses, a contar da data da consignação da obra.

As informações completas do concurso estão disponíveis na DGI do Ministério das Infraestruturas e Ordenamento do Território e Habitação.

A Capela de Morinho, também conhecida como Capela de Nossa Senhora do Rosário, é uma capela simples de planta retangular com cobertura de telha cerâmica e é formada por uma nave principal com uma cruz encimada e uma porta de madeira.

De acordo com o diagnostico realizado pelos arquitetos do Instituto, no passado mês de setembro, aquando da primeira deslocação à ilha, a capela encontra-se em bom estado, em termos estruturais.

A maior preocupação reside na cobertura, deficitária e frágil, colocando em risco as pessoas que frequentam a capela, e uma parte da alvenaria de pedra da fachada principal, que apresenta grande nível de fratura, podendo cair, caso aconteça algum movimento na estrutura da capela.

O projeto de reabilitação da Capela de Morinho foi elaborado pelos Arquitetos do Instituto do Património Cultural, Adalberto Tavares e Ricardo Ortet e pelo Engenheiro Anildo Morreira, em colaboração com a equipa técnica da Camara Municipal da Ilha do Maio e do Conselho Paroquial local.

Últimas Notícias