IPC e CHAM firmam convenio de cooperacao

Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas de Cabo Verde, através do IPC - Instituto do Património Cultural, e o Centro de Humanidades, da Universidade Nova de Lisboa, Portugal, firmaram nesta sexta-feira, em São Vicente, um convénio de cooperação internacional entre as duas entidades, com vigência de 3 anos.

A assinatura deste protocolo aconteceu no Universidade de Cabo Verde - UniCVFaculdade de Engenharia e Ciências do Mar, no âmbito da terceira missão do projeto CONCHA em Cabo Verde, e visa mobilidade cultural e científica, de formação técnica académica, de consultoria e de gestão do património cultural integrada do território.

O referido convénio foi assinado pelo Presidente do Instituto do Património Cultural, Hamilton Jair Fernandes e pelo Diretor do Centro de Humanidade, o professor Catedrático Joãopaulo Oliveira E Costa, em representação das instituições implicadas no ato.

Um ato que para Hamilton Jair Fernandes acaba por substanciar algo que há muito tempo se operacionalizou. Isto porque, segundo o mesmo, as colaborações entre o IPC e CHAM já decorrem desde 2016, com intercâmbio de investigadores, cabo-verdianos e portugueses, tendo desde sempre foco na fortificação da rede atlântica que se quer construir.

O protocolo assinado em Mindelo, foi o culminar de um conjunto de encontros que a equipa do IPC e do CHAM tiveram na ilha de São Vicente, no quadro da descentralização do CONCHA. Segundo explicou Fernandes, pretende-se integrar a cidade do Mindelo, seu rico porto e história no roteiro no património cultural subaquático, que se almeja construir em Cabo Verde.

Por fim, Fernandes fez votos de que o documento assinado não ficasse apenas para posteridade, e sim que os frutos do mesmo sejam reflexos da intenção que levou à sua assinatura.

João Paulo Oliveira e Costa, Diretor do CHAM, afirmou não ter assinado o protocolo não na expetativa de um sucesso, mas sabendo que ele já é um sucesso. Atendendo ao fruto do trabalho que tem sido feito e da cooperação intensa e fraterna existente entre o IPC e o CHAM.

“Esta parceria é entre duas instituições que tem um passado comum, que cada vez mais nos dá o sentido de lealdade uns com os outros”, reforçou Oliveira e Costa garantindo que o CHAM vai continuar a aprofundar num trabalho que é fascinante.

O ato de assinatura do convénio entre o Instituto do Património Cultural e o Centro de Humanidades, foi presidido pelo Paulo Veiga - Secretário de Estado Adjunto para a Economia Marítima, que o considerou oportuno e pertinente. Isto atendendo aos objetivos do Governo de Cabo Verde para com os oceanos.

“Cabo Verde é mar e os oceanos. O Governo pretende desenvolver a economia do país através do mar. Este que liga Cabo Verde ao mundo e o separa. Por isso pretende-se sensibilizar a população para a preservação e conhecimento do mar, de modo que a partir dai possamos desenvolver atividades sejam elas económicas, sociais e culturais.”

A cerimónia de assinatura, que contou com uma apresentação prévia da Cátedra Unesco - O Património Cultural dos Oceanos, foi presenciada pelos vereadores da Câmara Municipal de São Vicente, Comandante da 1ª Região Militar, Biosfera Cabo Verde, Universidade de Cabo Verde, Técnicos do CHAM e do Instituto do Património Cultural.

Últimas Notícias