CONCHA caso de sucesso horizonte 2020

O Presidente do Instituto do Património Cultural, Hamilton Jair Fernandes, participou nesta quarta-feira, 21 de novembro, como um dos oradores do Seminário sobre o programa Horizonte 2020 promovido pela União Europeia ( UE em Cabo Verde )

Horizonte 2020 figura-se como o maior programa de investigação e Inovação da União Europeia, orçado em cerca de 80 milhões de euros, disponível em sete anos. Tendo iniciado em 2014, procede até 2020.

Enquanto um dos oradores do Seminário, Fernandes levou aos participantes um caso de sucesso do programa Horizonte 2020, em Cabo Verde, o projeto de Arqueologia Subaquática CONCHA. Projeto da qual este Arquipélago é parceiro através do Instituto que preside.

Segundo explicou Fernandes, embora o trabalho efetivo tenha iniciado em abril de 2018 no país, o networking vem sendo feito desde 2016. Mas o que faz do CONCHA um projeto de sucesso em Cabo Verde?

Permite a capacitação dos técnicos nacionais, reforço institucional, tem permitido o mapeamento dos naufrágios ocorridos nas águas caboverdianas, inventário do espólio do museu de arqueologia, sensibilização da comunidade académica para a questão do património arqueológico, etc.

Fernandes apresentou, portanto, os objetivos que norteiam o projeto, as ações desenvolvidas até então, e perspectivas a longo prazo.

O projeto CONCHA é um projeto da Universidade Nova de Lisboa, através da Cátedra Unesco - O Património Cultural dos Oceanos e do CHAM, que explica as diferentes formas pelas quais as cidades portuárias se desenvolveram em torno da borda do Atlântico no final do séc. XV e início do séc. XVI em relação aos diferentes ambientes ecológicos e económicos globais, regionais e locais.

Cabo Verde, através do IPC - Instituto do Património Cultural, integra o projeto CONCHA juntamente com a Universidade Pablo de Olavide, Old Dominion University, OMA - Observatório do Mar dos Açores, Trinity College Dublin Global, Associação para as Ciências do Mar, Universidade do Norte; Mar, Ambiente e Pesca Artesanal, Universidade Federal de Sergipe e Eveha International.

O seminário foi ainda espaço para apresentação das oportunidades de financiamento em termos de investigação entre a União Europeia e Africa, transmissão de informação detalhada sobre o horizonte 2020, e workshop de discussão centrado na capacitação dos proponentes

Últimas Notícias