IV Eixo PRRA MIOTH

O Instituto do Património Cultural recebeu a visita da Coordenadora substituta do Programa de Reabilitação, Requalificação e Acessibilidades (PRRA), Ineida Morais, e equipa. Uma visita com vista a acompanhar o andamento dos trabalhos referentes ao IV Eixo do PRRA, que estão sob a coordenação do Instituto.

Até então, segundo o Presidente do IPC, Hamilton Jair Fernandes, a equipa do IPC já efetivou levantamentos arquitetónicos, fotográficos e as patologias dos edifícios contemplados nas ilhas do Fogo, Brava, São Nicolau, Maio, Boa Vista, Santiago.  Tendo já constatado a necessidade de revisão de alguns projetos e processos atendendo à degradação de alguns bens.

A título de exemplo, apontou o Forte Duque de Bragança, na ilha da Boa Vista, que pelo avançado estado de degradação, carecerá de um profundo trabalho de escavação e restauro arqueológico.

Mais do que repensar alguns projetos, segundo afirmou o Presidente do IPC, é necessário uma estreita articulação e colaboração com os Municípios e Dioceses, no tocante à reutilização e consequente valorização dos edificados após intervenções. E ainda publicar os trabalhos científicos realizados.

Neste momento a equipa, composta por 4 arquitetos, 1 engenheiro e historiadores, elabora a carta de risco dos edifícios onde já foram feitos os levantamentos. Após esta fase, seguir-se-á para o levantamento nas ilhas de Santo Antão, São Vicente e Sal.

A coordenadora substituta do PRRA, parabenizou a equipa pelo trabalho desenvolvido até então, atendendo aos compromissos assumidos com a Sra Ministra das Infraestruturas, Ordenamento do Território e Habitação Eng. Eunice Silva, aquando do encontro realizado no passado mês de agosto.

Até o final do corrente ano, o IPC deverá entregar ao MIOTH cerca de 30 projetos de reabilitação, para abertura de concurso em 2019, cujo valor orçamentado ultrapassa os 600 mil contos.

 

 

 

Últimas Notícias