Tomada de posse onomastica

Nove membros tomaram posse, na manhã desta terça-feira, 25 de setembro, como membros da Comissão Nacional de Onomástica numa cerimónia copresidida pelo Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, e a Ministra da Justiça e Trabalho, Janine Lélis.

Para o governante, sendo o nome “a primeira âncora da segurança emocional e da autoestima” é importante que se crie uma lista que responda às necessidades do país na atribuição dos nomes próprios.

“Cabo Verde, um país jovem, alinhado com as melhores práticas internacionais dá, por isso, os primeiros passos. A Comissão será responsável para a criação de regulamento para a admissibilidade de vocábulo para nomes próprios, instrumentos que norteará os registos no país na atribuição dos nomes evitando situações recorrentemente depreciativas e contrárias aos direitos do ser humano”, afirmou o MCIC, Abraão Vicente.

A Comissão Nacional de Onomástica, neste sentido, vai trabalhar para admissão de nomes na língua materna. “A partir do início das funções da Comissão Nacional de Onomástica vai ser possível a admissão de nomes próprios tanto em português como na língua materna, normatizando a escrita nas duas línguas, respeitando a ortografia e a etimologia do nome”.

A força cultural que os nomes das pessoas encerram constitui uma fonte importante da história e de memória. Neste contexto, é de todo justo que a legislação nacional recolha esses valores e os oficialize, criando assim igualdade plena de escolha aos cidadãos no que tange à antroponímica condizente com a sua realidade.
Representando os membros ora empossados, a Presidente da Comissão Nacional de Onomástica, Adelaide Monteiro, afirmou que a equipa vai trabalhar, também, no sentido de “garantir que o nome próprio seja uma marca de orgulho pessoal”.

O nome próprio cria todo um imaginário social e psicológico que permite ao indivíduo se situar nos vários ciclos que compõe a sua vida pessoal, social e administrativo.

A Comissão Nacional de Onomástica é um órgão consultivo do Governo para a criação Onomástica Cabo-verdiana, que visa especialmente a defesa, valorização e a promoção antroponímica nacional. Fazem parte nove membros: Adelaide Monteiro, Maria Ivete Marques, Edson de Brito, Pde António Silves Ferreira, Humberto Lima, Zelinda Cohen, Maria do Céu Batista, Joselene Safira Moreno, Tirza Fernandes.

Foto e texto: MCIC

Últimas Notícias