concha 2º fase preparacao

Cabo Verde acolhe, durante o mês de agosto, a segunda fase do projeto arqueologia subaquática, CONCHA. Para o efeito está no país os coordenadores do projeto, Patrícia Carvalho e José Bettencourt, do CHAM.

José Pedro Bettencourt reuniu hoje com parte da equipa cabo-verdiana para juntos planearem as atividades no terreno que terão inicio no próximo dia 7 de agosto, terça-feira, com mergulho na Urânia – Ilhéu de Santa Maria.

Esta segunda missão, além de arqueologia subaquática, integra arqueologia terrestre, trabalho de estudo e inventário do espolio do Museu de Arqueologia, arqueologia terrestre, e formações.

Recorde-se que a primeira fase da missão CONCHA em Cabo Verde decorreu no passado mês de abril com mergulho de prospeção arqueológica subaquática no Ancoradouro da Cidade Velha- Património Mundial, Urania e São Francisco.

O projeto CONCHA, projeto da Cátedra Unesco - O Património Cultural dos Oceanos, explica as diferentes formas pelas quais as cidades portuárias se desenvolveram em torno da borda do Atlântico no final do séc. XV e início do séc. XVI em relação aos diferentes ambientes ecológicos e económicos globais, regionais e locais.

Além de organizar oficinas acadêmicas e publicações, CONCHA, pretende educar envolvendo o público em pesquisas históricas, oferecendo uma série de conferências e exposições e auxiliando as instituições públicas no desenvolvimento da conservação do património e do turismo.

Cabo Verde, através do IPC - Instituto do Património Cultural, integra o projeto CONCHA juntamente com a Universidade Pablo de Olavide, Old Dominion University, OMA - Observatório do Mar dos Açores, Trinity College Dublin Global, Associação para as Ciências do Mar, Universidade do Norte; Mar, Ambiente e Pesca Artesanal, Universidade Federal de Sergipe e Eveha International.

 

Últimas Notícias