DGTT e IPC relaçõesO Presidente do Instituto do Património Cultural, acompanhado dos Diretores e Coordenadores de serviço, recebeu no instituto, o Diretor Geral do Turismo e Transporte, Francisco Martins. Um encontro que teve como foco o estreitar das relações institucionais, num momento em que se prepara um futuro protocolo de cooperação bilateral, a ser assinado entre o IPC e a DGTT.
 
O protocolo, que deverá ser assinado ainda este ano, abrange várias áreas de interesse mútuo, visando a promoção do país, através do turismo cultural, em específico do património cultural nacional. Pois, Martins defende que Cabo Verde necessita de um produto turístico, além de sol e praia. E acredita que este produto seja a cultura.
 
A DGTT tem em curso o projeto de um vídeo promocional da morna, que neste momento candidata-se a lista representativa da UNESCO. Segundo explicou, Francisco Martins, com este vídeo, a ser protagonizado pela artista Solange Cesarovna, a DGTT pretende mostrar a diversidade da morna, da cultura e de Cabo Verde. E para que a morna esteja bem representada, a nível patrimonial, solicitou o acompanhamento e apoio técnico do IPC na conceção da narrativa do mesmo.
 
O Presidente do IPC, Hamilton Jair Fernandes, que se regozija com a iniciativa, demonstrou total disponibilidade, do instituto que representa, em colaborar neste e demais projetos a favor da promoção da morna, e do património cultural nacional.
Em relação a morna, importa referir, que embora Cabo Verde tenha entregue o dossier de candidatura em março, passado, deve aguardar até setembro, tempo estipulado pela UNESCO, para dar início a promoção deste símbolo maior da cabo-verdianidade.
 
Foi pauta ainda do referido encontro, o projeto Museus de Cabo Verde (MCV), traçado pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, através do IPC. Fernandes apresentou a Martins as intervenções em curso, e programadas, no sentido de incutir mais dinâmica aos museus, atendendo a novas demandas e abrangendo novos públicos.
 
Neste momento o projeto MCV está a ser implementado no Museu da Resistência, Ex-campo de Concentração do Tarrafal com a valorização museológica e introdução das novas tecnologias. O Museu do Sal e Etnográfico serão os próximos a acolher o MCV e a experiência das TICS.
 
Participaram do encontro Humberto Lima, Técnico da Direção do Património Imaterial, Jaylson Monteiro, Coordenador da Direção dos Monumentos e Sítios, Fátima Barbosa, Coordenadora do Gabinete de Cooperação, Adilson Dias, Coordenador da Direção de Museologia e Museu, e Ana Carvalho, Coordenadora do Gabinete Jurídico do IPC e Edison Barbosa da DGTT

 

 

Últimas Notícias