concha

Arrancou na passada sexta-feira, 13 de abril, a missão preparatória do Projeto CONCHA, em Cabo Verde. Para o efeito, está no país o coordenador da Cátedra da Unesco “O Património Cultural dos Oceanos” da Universidade Nova de Lisboa, o Professor Doutor João Paulo Oliveira e Costa.

João Paulo Oliveira e Costa, reuniu-se com a equipa técnica do IPC, parceiro do projeto em Cabo Verde, a Comissão Nacional de Cabo Verde para Unesco (CNU), as Universidades de Cabo Verde e Jean Piaget para um primeiro encontro de trabalho e delinear de futuras ações.

Concha é um projeto que visa desenvolver conhecimentos históricos e patrimoniais, no domínio da investigação, salvaguarda e valorização do legado subaquático. O projeto agrega 11 instituições parceiras (Europa, África e Américas) com a duração de 4 anos, durante os quais estão previstas numerosas atividades de investigação, educação e de disseminação científica.

Note-se que o património cultural subaquático é dos, se não o mais sensível dos patrimónios. Ele pode ser ameaçado por obras de construção que alteram as margens e os fundos e pelo fluxo das correntes, dos sedimentos ou dos poluentes. Por outro lado, este património encontra-se em risco de destruição por processos naturais, relacionados com as mudanças das condições ambientais ou pelas atividades de mergulho recreativo.

Atendendo a estes aspetos, no âmbito do CONCHA em Cabo Verde, propõem-se atividades de investigação, formação e sensibilização sobre o património cultural subaquático, prevendo-se a realização de um projeto-piloto de investigação da Paisagem Marítima da Cidade Velha; Ação de formação em arqueologia subaquática; Ações de divulgação e sensibilização para várias faixas etárias e um inventário do património cultural subaquático de Cabo Verde.

Recorde-se que Cabo Verde, é o primeiro parceiro a acolher o projeto em 2018. Para realização do mesmo, o Instituto do Património Cultural realizou no passado dia 14 de março um encontro com algumas instituições públicas nacionais, que têm influência direta ou indireta na gestão do património cultural subaquático, para construção de uma equipa de trabalho.

Estiveram presentes do referido encontro a Universidade de Cabo Verde (UNI-CV), Agência Marítima Portuária (AMP), Direção Nacional do Ambiente (DNA), Guarda Costeira e a Comissão Nacional de Cabo Verde para UNESCO.

Últimas Notícias