Visita de MCIC trindade

O Conjunto Histórico e Arqueológico da Trindade será brevemente elevado a Património Nacional. Um sítio que tem elevado o valor histórico, características únicas no contexto patrimonial de Cabo Verde e com relevância na história de Cabo Verde.

O Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, realizou uma visita ao Conjunto Histórico e Arqueológico da Trindade, acompanhado de uma equipa do Instituto do Património Cultural (IPC), liderado pelo presidente, Dr. Hamilton Jair Fernandes e ainda a Diretora Executiva da CNU, Dra. Stephanie Brito Duarte.

“No âmbito da semana do Património e do Dia Internacional de Monumentos e Sítios, que se celebra a 18 de abril, vamos classificar esse complexo arqueológico como Património Nacional. Uma classificação que se justifica pelo interesse arqueológico que o conjunto tem a nível nacional. Com a classificação podemos inscrevê-lo dentro do roteiro turístico da ilha de Santiago e ainda promover as investigações científicas que também são necessárias para aprofundar o estudo e conhecimento que temos desse espaço arqueológico”.

O Conjunto Histórico e Arqueológico que tem, no seu espaço, uma capela, foi mandada construir no século XVIII pelo Bispo Frei Francisco Santo Agostinho que após um ataque do pirata francês Jacques Cassard à Ribeira Grande de Santiago, em maio de 1712, refugiou-se em Trindade até à data da sua morte – 1719. É neste mesmo espaço que jaz o bispo.

Foi para esta localidade, onde está o Conjunto Histórico e Arqueológico, que o naturalista Charles Darwin deslocou-se em 1832. Nesta altura, de passagem pela ilha de Santiago, Darwin deixou uma inscrição na árvore centenária denominada baobá.

Por toda a riqueza patrimonial e histórica que este complexo merece ser ainda mais conhecido e visitado por cabo-verdianos, estrangeiros e ainda estudiosos.

Recorde-se que o Governo, através do IPC esta a trabalhar juntamente com a Diocese de Santiago na preservação do património cultural imóvel.

Texto e Fotos: MCIC

Últimas Notícias