projeto concha equipaCabo Verde é o primeiro país a receber o projeto CONCHA em 2018. Um projeto que visa o desenvolvimento de conhecimentos históricos e patrimoniais, no domínio da investigação, salvaguarda e valorização do legado subaquático Nacional.

Isto, explicando as diferentes formas pelas quais as cidades portuárias se desenvolveram em torno da borda do Atlântico, no final do séc. XV e início do séc. XVI, em relação aos diferentes ambientes ecológicos e económicos globais, regionais e locais.

Esta decisão saiu da primeira videoconferência, de parceiros do projeto, que teve lugar no passado dia 12 de janeiro de 2018.

Já no próximo mês de abril, Cabo Verde recebe de 12 a 24, o Coordenador da Cátedra Unesco - O Património Cultural dos Oceanos da Universidade Nova de Lisboa, Professor Doutor João Paulo Costa, para a missão preparatória do projeto do CONCHA.

Para execução CONCHA em Cabo Verde, o Instituto do Património Cultural realizou um encontro, nesta quarta-feira, 14 de março, com algumas instituições públicas nacionais, que têm influência direta ou indireta na área, para construção de uma equipa de trabalho.

No encontro, estiveram representados: a Universidade de Cabo Verde(UNI-CV), Agência Marítima Portuária (AMP), Direção Nacional do Ambiente (DNA), Guarda Costeira e a Comissão Nacional de Cabo Verde para UNESCO.

Associar estas instituições ao projeto significa, no dizer do Presidente do IPC, união de forças na implementação das melhores medidas de salvaguarda deste património sensível, que é o património subaquático. Pois Fernandes acredita, que em projetos de tamanha envergadura, o instituto não pode ser o único representante do país.

As instituições presentes demonstraram total engajamento ao projeto e a missão maior de preservação deste vasto património nacional. Tendo ficado o compromisso de mobilizar outros parceiros para este e outros projetos ligados ao património subaquático, de forma a juntos traçarem as medidas de sensibilização e valorização do legado subaquático deste país, que conta com um território marítimo superior ao terrestre.

Para preservar o património subaquático nacional, é necessário antes de tudo conhecê-lo. Neste sentido o IPC, através do Museu de Arqueologia, tem desenvolvido sucessivas sessões de sensibilização junto às instituições de ensino. Mobilizando-os a visitar o museu e conhecer a história deste Arquipélago no contexto nas navegações transatlânticas.

Cabo Verde, através do Instituto do Património Cultural, integra o projeto CONCHA juntamente com a Universidade Pablo de Olavide, Old Dominion University, OMA - Observatório do Mar dos Açores, Trinity College Dublin Global, Associação para as Ciências do Mar, Universidade do Norte; Mar, Ambiente e Pesca Artesanal, Universidade Federal de Sergipe e Eveha International.

Últimas Notícias