Santa luzia

O Complexo das Áreas Protegidas de Santa Luzia é constituído pela reserva natural de Santa Luzia e reserva integral dos ilhéus Branco e Raso. Essas ilhas foram descobertas no ano de 1461 pelos portugueses, e desde então encontram-se desabitadas. Fica localizado a noroeste do arquipélago, a uma distância de 8 Km da ilha de São Vicente e 16 Km de São Nicolau, aproximadamente. Possui uma superfície total de 609,6 Km2, abrangendo a área terrestre, área marinha e zona de amortecimento, sendo esta última uma faixa ao redor do complexo, com o comprimento de 0,5 milhas náuticas e com uma área de 97,5 Km2.

O panorama geomorfológico evidencia cenários paisagísticos que refletem fácies ecológicas e edáficas muito diversificadas, incluindo praias, dunas móveis, baixas de ribeiras e leitos de escoamento largos, mantos lávicos e superfícies de deposição de sedimentos, plataformas basálticas, lajedos calcários superficiais, colinas e cabeços, bem como vertentes e maciços montanhosos (cristas, cumes, vales entalhados e vertentes íngremes).

A excecionalidade desse complexo deve-se ao fato de constituir um espaço importante no atlântico para nidificação e reprodução de espécies marinhas em particular a Baleia de Bossa (Megaptera novaeangliae) e a tartaruga-comum (Caretta Caretta). Adicionalmente, em virtude do seu isolamento geográfico, Santa Luzia e os ilhéus são o habitat de répteis e aves endémicos e ameaçados. Destacam-se as osgas e as lagartixas bem como as aves marinhas sendo as mais emblemáticas a Cagarra (Calonectris edwardsii), a Calhandra (Alauda razae), o Rabo-de-junco (Phaeton aethereus) e o Alcatraz (Sula leucogaster).

A Reserva Natural de Santa Luzia e os Ilhéus Raso e Branco foram inscritos na Lista Indicativa de Cabo Verde na UNESCO apoiada nos críterios IX e X.

O sistema de áreas protegidas em questão, não obstante as ameaças antrópicas que perigam a preservação e conservação da sua biodiversidade, nomeadamente a introdução de gatos que se tornaram bravos e a apanha desenfreada de cagarras que acontecia no passado por parte de pescadores, pode ser considerado em aceitável estado de conservação.

 A preservação desta reserva nacional é abrangida, por um lado, pelo Decreto-lei 03/2003 de 24 de Fevereiro, que estabelece o regime jurídico dos espaços naturais e integra-se na Rede Nacional das Áreas Protegidas de Cabo Verde. Por outro lado, pelo Decreto- regulamentar 7/2002 que estabelece medidas de conservação e proteção das espécies de flora e fauna ameaçadas de extinção, em particular a Cagarra.

O Complexo de Áreas Protegidas de Santa Luzia e ilhéus Branco e Raso, pela sua peculiaridade e carateristicas acima mencionadas, assemelha-se às ilhas selvagens (Portugal) que perfila desde 2002 na Lista Indicativa da UNESCO. Com efeito, são ilhas pertences à macaronésia, ambas desérticas, com um número significativo de colónias de aves autóctones e daquelas cuja rota migratória utilizam o espaço para nidificação e reprodução. Outro aspeto de convergência consiste no tipo de vegetação, característica das zonas áridas.





Reserva Natural de Santa Luzia e os Ilhéus Raso e Branco

Lista Indicativa