Centro historico sao felipe

A ilha do Fogo ou a ilha de São Filipe como era conhecida aquando da descoberta em 1460 pelos portugueses, foi a segunda ilha a ser povoada entre 1470 e 1490. A sua ocupação foi preconizada por ricos proprietários da Ribeira Grande (Cidade Velha), com os seus escravos, no seguimento da carta de limitação de privilégios de 1472, que obrigava os moradores de Santiago a comercializar na Costa Africana somente produtos originários da ilha. 

É nesta senda, que São Filipe surgiu como primeiro centro urbano da ilha, emergindo no espaço onde foi construído a capela de São Felipe, no lugar onde hoje fica o denominado "cemitério de baixo". Enquanto comércio esclavagista na Ribeira Grande (Cidade Velha) foi rentável, São filipe desempenhou um papel crucial, pois o principal produto de troca no resgate de escravos na costa africana derivava do algodão (pano de terra).

O Centro Histórico de São Filipe foi inscrito na lista indicativa de Cabo Verde na UNESCO pelos critérios IV e VI

Este centro, não obstante as transformações decorrentes da modernidade que afetam a generalidade dos centros históricos, conserva ainda, grande parte o seu legado patrimonial e cultural, visível na estrutura, morfologia e coesão dos conjuntos arquitetónicos. A autenticidade e integridade do bem são garantidas, por uma lado, pela idiossincrasia dos sanfilipenses em preservar o legado através do seu reconhecimento enquanto fator de perpetuação da identidade local e nacional, e por outro lado, pela proteção legal do bem.

Atendendo aos valores históricos e patrimoniais atribuídos ao Centro Histórico de São Filipe, o Governo de Cabo Verde, através do Ministério da Cultura, declarou-o Património Nacional, através da resolução nº 36/2012, de 21 de Junho. Esse reconhecimento legal tem como principal objetivo enfatizar uma gestão que prioriza a salvaguarda e valorização da sua herança patrimonial e cultural. Além disso, envolver a população local no processo, de modo a compatibilizar a defesa do património cultural com o seu aproveitamento socioeconómico, promovendo assim um desenvolvimento sustentável. 

O Centro Histórico de São Filipe pode ser comparado com inúmeras cidades da Antilhas e Caraíbas que se desenvolveram a partir de uma economia baseada no comércio escravocrata. No que diz respeito à arquitetura, o centro Histórico de São Filipe assemelha-se a cidades fundadas pelos europeus e adaptadas as idiossincrasias locais. Neste caso, o Centro Histórico de Angra de Heroísmo (Açores), classificado Patrimonial Mundial pela UNESCO, desde1983, constitui um arquétipo da reprodução das vilas e cidades portuguesas adaptadas às condições climáticas das respetivas colonias.

 

 

Centro histórico de São Filipe

Lista Indicativa